domingo, 16 de julho de 2017

Azulejos da Ordem Terceira de São Francisco


Me lembro do último restauro dos azulejos da Ordem Terceira de São Francisco. Na época, pelo estardalhaço que se fez e pelo que entendi, seria um restauro responsável, se não definitivo iria estancar pelo menos durante um bom tempo a degradação, o desprendimento e o farelo que estava virando os painéis de azulejos. Mas, não, e me surpreendi com esta matéria do Correio mostrando que o que tinha sido feito havia voltado ao que era antes, ou seja, não serviu, foi um paliativo, uma maquiagem. A farofa tinha voltado e agora mais forte! Uma pena!
Estou para fazer um passeio antiguinho por lá para dar o meu look, dar a minha nota. Imagino que irei desfalecer. 
Por isso vou levar na bolsa um  vidrinho com vinagre de Lisboa para me reanimar...



Fotografei as páginas do jornal e também escaneei algumas fotos feitas pela fotógrafa Marina Silva para a matéria. Preparem-se para as imagens fortes, queridinhos!









Farofafá!












E é assim que anda a nossa Bahia portuguesa, virando farelo. E não é só a Ordem terceira que está assim. 
Triste Bahia já dizia Gregório de Matos no século XVII.


Nenhum comentário:

Postar um comentário