quarta-feira, 15 de março de 2017

Hélio Basto


Andando por Salvador, encontrei em uma imobiliária do centro da cidade, este belo quadro de Hélio Basto, pintor e retratista baiano, hoje, totalmente esquecido.
Hélio foi um dos artistas da turma de artistas modernos da Bahia dos anos 50 - Carlos Bastos, Mário Cravo, Genaro de Carvalho, Maria Célia Calmon, José Pedreira entre outros -  que revolucionaram tudo o que por aqui se fazia. Aliás, acho esta turma de artistas plásticos baianos insuperável, era muita gente boa e talentosa junta e, num momento especial da cidade de Salvador que, nesta época, os anos 50, fervilhava culturalmente com o teatro, a música e o cinema.
Nos anos 70 eu frequentei muito uma galeria de arte e bar, a Galeria 13, que tinha em suas paredes vários quadros de Hélio Basto e de muitos outros artistas baianos também. Este bar/galeria funcionava no Pelourinho muito antes da restauração, era habitado pela gente muito simples do local e todos iam para lá beber e ouvir a ótima música em LPs. que Deraldo, o dono, colocava na radiola. Era uma delícia a Galeria 13. Fechou há séculos.
Pois bem, como ia dizendo e retomando o pincel, achei a bela pintura de Basto - sem data - propus comprar, mas me pediram uma fábula, então, fotografei pra ter a imagem de recordação. 
Para engrossar o caldo da postagem, fui ao Google e arrastei algumas fotos de obras de Hélio Basto, um baiano pintor que mereceria uma boa retrospectiva de seus trabalhos. E onde estariam estes trabalhos, pelo amor de deus???!!!
Mas ele anda tão esquecido...parece que nunca existiu. Uma tristeza.


Hélio com um gato no colo e, em uma das telas... um gato. 
Deveria dos meus: louco por gatos.














Nenhum comentário:

Postar um comentário