sábado, 31 de agosto de 2013

Caldo de Caridade

Tomei muito este Caldo de Caridade quando entrei como desvalida da sorte e de tudo, enfim, na Casa da Providência onde fui tão bem recebida pelas boníssimas Irmãs Vicentinas com seus belíssimos chapéus cornetas pontiagudos que eu pensava que iam me perfurar de tanta goma que tinham...
Tomava o caldinho na minha canequinha de ágata todas as manhãs ao lado das minhas coleguinhas no refeitório antes de irmos para as aulas do Preparativo. Como eu cheguei muito fraquinha das pernas, nem andava, Irmã Pressurosa do Imaculatíssimo Coração de Maria me dava o caldo no dedinho dela, enfiando pela minha boquinha - goela - abaixo. Muito boa Irmã Pressurosa, que Deus a tenha na divina graça! 
Estou publicando aqui esta receita para que vocês quando virem uma raquítica, uma tísica, uma esquálida, uma pele e osso e já mais pra lá do que pra cá, deem, façam este caldo que até no nome é maravilhoso, o Caldo de Caridade
É isso, minha gente, já fiz minha bondade, minha caridade por hoje, mas, juntem dinheiro pra comprar a farinha de guerra que está pela hora da morte. 
Aconselho também aos desvalidos o regenerativo Mingau de Sto. Antonio cozido com um dentinho de alho dentro. Este mingau e o Caldo de Caridade, são a salvação do petiz necessitado, desvalido e, às vezes, nos pródromos da morte! 
Deus abençoe!

Nenhum comentário:

Postar um comentário