quarta-feira, 26 de julho de 2017

Senhora Sant'Ana


Foto de Marina Silva, procissão no último domingo - 23/07 -  no Rio Vermelho, Salvador e, hoje, 26 de julho é o dia de Senhora Sant'Ana e de São Joaquim, pais de Nossa Senhora e nossos vovôs, portanto.
A bela foto eu escaneei do Correio da Bahia e vinha com essa legenda abaixo que eu amei


domingo, 23 de julho de 2017

Brigitte Bardot e o Apartamento da Rua Paul Doumer, Paris

Esta é uma página do meu antigo álbum de Brigitte Bardot
A matéria foi publicada em uma revista daqui do Brasil que, pelo tipo do papel, pode ter sido uma Cláudia ou uma Desfile dos anos 70, duas revistas que não circulam mais. 
As fotos mostravam o apartamento que BB tinha em Paris que ela comprou no início da carreira ou nos anos 60 e que, segundo li na imprensa, ela se desfez, vendeu.
Não vi nenhuma foto deste apartamento por aí no Google, então estou colocando aqui como fotos não muito comuns da estrela francesa e que muita gente pode não conhecer ou lembrar. Aliás, antes de postar qualquer coisa de Brigitte Bardot aqui no blog eu procuro ver se já há na net, pois não vale a pena e o trabalho escanear fotos que já existem por lá.
Então, pra quem nunca viu como era o apartamento de BB do centro de Paris na Rua Paul Doumer, 71, aqui estão as fotos dele e com Brigitte mostrando os ambientes.
Vamos lá?



















A página do meu antigo álbum que eu fazia reaproveitando uma lista telefônica daqui de Salvador. Às vezes dá para escanear as fotos bem legal, mas, por ser a lista um livro muito grosso e eu ter colado algumas fotos aproveitando as páginas inteiras, fica difícil. 
Mas, dá-se um jeitinho e... paciência, paciência...

Senhora Sant'Ana


Procissão hoje no Rio Vermelho. A imagem de Sant'Ana do século XVIII foi tomar um arzinho pelo bairro e distribuir graças.
Foto do Correio da Bahia.

Carmen Verônica em Xerox . A Nossa Rena Máxima!






Star. 
Completamente star. 
Esta é a palavra pra definir Carmen Verônica, star em todos os programas de TV, em todos os shows, em todas as peças, em todos os filmes que fez durante a sua longa carreira de atriz/star, especialista em fazer as granfinas metidas à besta, insuportáveis, esnobes, podres de chiques e, quando podia, de piteira na mão dando mais pinta. 
Hilária, bonita, corpão, Carmen não tem igual no nosso scenário artístico e, pelo visto, não vai ter outra, pois até agora não apareceu nenhuma actriz fresca, viado igual a ela. Carmen é única, mesmo com Consuelo Leandro e Renata Fronzi - duas actrizes/viados que começaram mais ou menos na mesma época.


As viadérrimas Renata e Consuelo.


Carmen diz que Renata era a mais viada. E é mesmo, também acho, KKKKK, mas Carmen...quebra muito, craquela demais, lacra em demasia. É boneca! 
Bonequíssima! 
Bonequérrima demais! 
Essa foto em xerox foi um amigo meu que me mandou via correio há muito tempo. Ele até já faleceu, sabia que eu amava Carmen... Fofíssimo, colocou no cantinho com a linda letrinha que ele tinha o nome de Carmen e a data da foto. Merci, merci, merci. Agradecer em francês é melhor...
Essa foto deve ter no Google, mas prefiro a minha em xerox.
Abaixo, um vídeo da antiga TV Record - 1969 - onde Carmen Verônica dá uma aula de frescura.
E viva a Carmen, a nossa rena máxima, o alce mais refinado e esnobe, o veado mais elegante do scenário artístico brasileiro.
"- Completa o tipo!"



sábado, 22 de julho de 2017

Um Casamento em Piracicaba


Ganhei essas fotos de um amigo que as comprou em um sebo aqui do centro de Salvador, ele achou a minha cara e me deu de presentinho. 
Mexendo nas velharias encontrei as fotos e hoje estou colocando aqui essas cenas de um enlace matrimonial em Piracicaba, cidade do interior de São Paulo
Como elas vieram parar aqui em Salvador, não sei.
As fotos são do casamento civil e do religioso. A noiva parece sempre estar tensa, nervosa por conta, creio eu, dos preparativos para a cerimônia. Para a mulher, casar dá mais trabalho, comprar tecido, escolher modelo, mandar costurar com uma boa costureira e mandar bordar o vestido por uma prendada das agulhas e linhas.
E se houve depois da cerimônia uma recepção na casa da noiva, esta deveria estar nos trinques, um primor para receber os convidados com os comes e bebes e, depois, cortar lindo o bolo em destaque  no centro da mesa. Com tudo isto a tensão da noiva vai a mil.
Para o homem, acho que o único problema é escolher o paletó em uma loja ou mandar fazer em um alfaiate. Tudo mais simples.
As fotos são um primor! Anos 40? 50? Por aí.
Atrás de todas as fotos um carimbo de uma loja que até hoje existe em Piracicaba (olhei no Google).
E depois do casamento, foram felizes para sempre o casal? Espero que sim. Tiveram muitos filhos? Muitas histórias que não saberei, mas não é isso o que importa. Importa este registro em fotografia que marca bem uma época, uma deliciosa época de romance culminando na cerimônia do casamento.






O Pobre e a Matemática





Este problema absurdo está no livro Atividades de Matemática de 1971. Ilustrando o problema, o desenho de um garotinho negro e pobre, obviamente.



Meninazinha de Nictheroy


Foto da série dos guardados de vovó e que ninguém, hoje, sabe de quem se tratavam os retratados. Sumiram no tempo e no espaço e ficaram as fotos.
Essa é uma antiga meninazinha de Nictheroy que, deveria ser tão pequenininha que a colocaram sobre o assento de uma cadeira de palhinha para encontrar o olho do fotógrafo e fazer uma composição com a plantinha do vaso em cima da jarreteira.


Caixa / Máquina de Música


Ilustração na Globerama - Tesouro de Conhecimentos Ilustrado - edição, 1962.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Pelourinho . Salvador


Foto de Mauro Akin Nassor, escaneada do Correio da Bahia. Gostei das cores - parece foto retocada -,  da luz deste pedaço tão bonito da cidade, o Pelourinho, com seu casario colonial e a igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos.

domingo, 16 de julho de 2017

Azulejos da Ordem Terceira de São Francisco


Me lembro do último restauro dos azulejos da Ordem Terceira de São Francisco. Na época, pelo estardalhaço que se fez e pelo que entendi, seria um restauro responsável, se não definitivo iria estancar pelo menos durante um bom tempo a degradação, o desprendimento e o farelo que estava virando os painéis de azulejos. Mas, não, e me surpreendi com esta matéria do Correio mostrando que o que tinha sido feito havia voltado ao que era antes, ou seja, não serviu, foi um paliativo, uma maquiagem. A farofa tinha voltado e agora mais forte! Uma pena!
Estou para fazer um passeio antiguinho por lá para dar o meu look, dar a minha nota. Imagino que irei desfalecer. 
Por isso vou levar na bolsa um  vidrinho com vinagre de Lisboa para me reanimar...



Fotografei as páginas do jornal e também escaneei algumas fotos feitas pela fotógrafa Marina Silva para a matéria. Preparem-se para as imagens fortes, queridinhos!









Farofafá!












E é assim que anda a nossa Bahia portuguesa, virando farelo. E não é só a Ordem terceira que está assim. 
Triste Bahia já dizia Gregório de Matos no século XVII.


Brigitte Bardot . A Mais Linda, a Mais Charmosa Mulher do Mundo . Viva BB!!!


Quando aos 15 aninhos eu vi essa série de fotos com BB na antiga revista Manchete eu enlouqueci!!! Uau!!! Que mulher era aquela??? Uma mulher acinte, uma afronta para todas as outras, um esbanjamento de beleza e, principalmente, de muito charme.
Ainda bem que o nosso porco mundinho produziu uma mulher tão linda como ela que, hoje, faz um trabalho sério de proteção aos animais. Linda em todos os sentidos.
Hoje, eu - aos 16 -,  kkkk revi esta foto no Facebook e a emoção foi a mesma. Quase dou um treco!
Viva BB.

sábado, 15 de julho de 2017

Brigitte Bardot . 1968


Vamos Crochetar?


O mundo se acabando, a reunião em família pegando fogo, o papai orientando as leituras dos filhotes e ela enseguerada, ligada no crochê. O jantar já acabou, os pratos já foram lavado, não há televisão no pedaço, então vamos crochetar! Acompanhar o marido e a prole caladinha, concentrada no trabalho de agulha. Ouvidos antenado, mas, perder um ponto, jamais!
Gostei de tudo nesta foto de uma antigo livro católico - "A Tua Religião na Tua Vida" de 1959, a começar pelo tom burro quando foge meio pro cinza esverdeado e já esmaecido pelo tempo da photografia. 
A decoração espetacular de classe média legítima, a mesa redonda com uma toalha adamascada - recolocada depois do jantar em um tira e bota -, os meninos concentradíssimos - fariam provas no outro dia? - o papai carequérrimo e sisudo dando apoio e suporte técnico pedagógico. 
E a mamãe no crochê.
A tênue e meiga cortina cobrindo a janela e mimoso quadrinho pendurado na parede com familiares em pose. Mas, ó, céus!!!! Há um cinzeiro em cima da mesa!!!! Os petizes já fumavam, é isso? O papai? Ou a fumante era a mamãe, a prendada crocheteira??? Que hábito desagradável, não é mesmo, meus amigos, não combina com o ambientch tão normal e salutar.
O cinzeiro. Eu daria a minha vida por ele, cinzeiro cafona de louça com belos desenhos de época e detalhes em ouro. Que lindo! Aliás, a normalidade desta foto é linda. 
Que família linda, exemplar e unida, unida na leitura, no cigarro e no crochê.






A roupinha da mamãe é linda, escura, mas tem um lindo babadinho estampado que desce pelo ombro quebrando a sisudez e dando uma vida. Um amor. 
O crochê que ela tá fazendo deve ser daquele tinhoso, ponto difícil, torturante, daqueles que acabam com as vistas, mas ela segue irada e louca para acabar o paninho. E dane-se as vistas.